quinta-feira, 10 de março de 2011

CURIOSIDADES 4 - "Vou ir"


Por: Federico Polastri no site Português LV

"Podem preparar
Milhões de festas ao luar
Que eu não vou ir
Melhor nem pedir
Que eu não vou ir, não quero ir".
Vinícius de Moraes

Inicialmente é necessário estabelecer que até agora não pensara realmente em escrever este artigo. A materialização do mesmo deve-se ao acaso. Viajando por um site de língua portuguesa do professor Cláudio Moreno à procura de opiniões acerca do uso de “ter de” e “ter que” e das hipóteses que giravam em torno desta questão para tentar gerar debate, li o comentário que havia sobre “vou ir” e decidi mudar o rumo. É que fiquei atônito quando percebi que a dificuldade com esta locução verbal não era apenas nossa. Até então pensava que esta ocorrência acontecia com os falantes de espanhol principalmente, visto que tal construção revela-se cotidianamente na perífrase “voy a ir”, e que ao falarmos em português, tornava-se difícil a não enunciação da mesma. Mas ao que parece, no português também ocorre, mas há divergência quanto ao uso. Para clarificar e sustentar o que aqui comento, decidi reunir algumas opiniões atuais sobre o assunto em questão.

Vejamos os exemplos abaixo*:

1. Consulta
"Caro Professor Moreno: a minha dúvida é quanto ao uso da expressão "vou ir". O senhor escreveu, em uma resposta a outro internauta, que esta tal forma (é uma locução verbal?) seria condenada por gramáticos tradicionais. Gostaria de compreender melhor a razão para tal condenação. Há quem tenha tentado dar uma explicação dizendo que não se pode usar o mesmo verbo como verbo auxiliar e verbo principal. Contudo, sempre achei que a locução "tenho tido", por exemplo, não ferisse as regras da gramática. Obrigada."
Andréa

Resposta
Minha cara Andréia: tens toda a razão: há vários exemplos de locução verbal, em nossa língua, em que aparece o mesmo verbo, tanto na posição de auxiliar quanto na de principal; os mesmos fariseus que condenam "vou ir" aceitam "há de haver", "vinha vindo", "tinha tido". É evidente que o verbo só tem o seu significado pleno, originário, quando está na posição de principal; em "há de haver uma solução para este problema", o auxiliar (há) exprime a idéia de "desejo" (leia-se: eu gostaria que houvesse) ou de "obrigatoriedade" (leia-se: deve haver), enquanto o principal é que tem o sentido usual de "existir". Já falei sobre isso quando analisei a locução vinha vindo.

2. Consulta
"Prezado Prof. Moreno, estou com uma dúvida: afinal de contas, a expressão "vou ir" - muito utilizada no Rio Grande do Sul - está correta ou não? Eu penso que não; ele acha que sim. Podemos dizer "vou fazer", "vou trabalhar", etc., dando idéia de futuro, mas "vou ir"?? Obrigado e novamente parabéns pelo trabalho!
Rodrigo

Resposta
No caso de "vou ir", Rodrigo, vem agregar-se um outro fato lingüístico muito importante: a forma preferida de expressar o futuro, no Português moderno, é uma locução verbal com a estrutura ["ir" no pres. do indicativo + qualquer verbo no infinitivo]. Essa estrutura (vou sair, vou poder, vou ficar, vou ser) concorre com outras possibilidades, também usadas, mas em menor escala: (1) o próprio presente do indicativo ("Amanhã eu posso", "No ano que vem eu saio"); (2) o futuro do presente (sairei, poderei, ficarei, serei); (3) a locução [verbo haver + infinitivo]: hei de sair, tu hás de entender.

Estudos atualizados mostram que as hipóteses (2) e (3) são, no fundo, no fundo, a mesmíssima coisa. [...] Exemplifico: pega "eu hei de comprar, tu hás de comprar, ele há de comprar" e inverte a ordem dos verbos: "comprar hei, comprar hás, comprar há"; uma pequena adaptação ortográfica e terás "comprarEI, comprarÁS, comprarÁ".[...]

O que está acontecendo no Português moderno, ao que parece, é uma troca de auxiliar: em vez de usar o auxiliar haver, como nas hipóteses (2) e (3) acima, estamos utilizando cada vez mais o auxiliar ir. Isto é: quando queremos expressar a idéia de futuro, ou empregamos o presente do indicativo (menos usado) ou empregamos a locução [vou + infinitivo]. Como todo e qualquer verbo pode, em tese, ocupar a casa da direita, vão formar-se locuções do tipo vou vir, vou ir. Erradas elas não são; podem soar ainda um pouco estranho para muitos ouvidos, mas muitos outros já se acostumaram a elas, inclusive escritores e compositores de renome. Só para adoçar toda essa explicação, dou um exemplo saudoso, de um escritor de respeito: Vinícius de Moraes, na música "Você e Eu", feita em parceria com Carlos Lyra, usou, muito simplesmente (e em dose dupla):

"Podem preparar
Milhões de festas ao luar
Que eu não vou ir
Melhor nem pedir
Que eu não vou ir, não quero ir".

3. Consulta
A frase "Pode esperar, eu vou ir, sim!" está correta?

Resposta
"Vou ir" é uma locução verbal cujos verbos são os mesmos (ir + ir). Luiz Antônio Sacconi diz que os verbos "ir" e "vir" podem ser auxiliares de si próprios, desde que haja uma justificativa. Se a frase fosse "Pode esperar, eu já vou indo, sim!" a locução verbal acrescentaria um aspecto verbal novo ao seu sentido. O emissor da frase já está a caminho quando responde à pergunta. Já a frase do leitor me parece um pleonasmo vicioso, pois a locução verbal nada acrescenta ao sentido da frase. Seria melhor construí-la assim: "Pode esperar, eu vou (ou irei), sim!". "Vou ir" parece mais uma fuga do uso do futuro do presente do indicativo, tão pouco falado na língua coloquial.


A partir das respostas dos acadêmicos, pode-se inferir que não há unanimidade quanto ao uso de “vou ir”. Como o artigo ficou extenso, por causa das perguntas e das respostas extratadas dos sites, concluo estabelecendo algumas indagações finais:

Vocês usam ou rejeitam tal construção?
Alguma vez foram corrigidos ao enunciá-la?
Quais os argumentos dados?
Em nossa LM é lícita tal perífrase normativamente falando?
A construção “vou ir”, considera-se um pleonasmo ou o segundo elemento incide semanticamente no primeiro?
Em que situações comunicativas o brasileiro costuma usar tal recurso?
Usa-se em todas as regiões do Brasil?

Finalmente, abro um novo debate em torno da locução verbal “vou ir” para que possamos dialogar sobre este fenômeno lingüístico na seção de CL.

Forte abraço para todos! Espero comentários.

Revisão: O. Regueira.
Colaboração: G.E. Puglia.
____**____**____

Nota da blogger: como a postagem acima foi feita pelo autor em novembro de 2008, os links informados como fonte já estão desatualizados, infelizmente.

35 comentários:

  1. Me ajudou bastante, ótima postagem.

    ResponderExcluir
  2. Responde se "VOU IR" está correto SIM OU NÃO? Você só enrola, mas não da a resposta que todos perguntam, SIM OU NÃO? Ou você não sabe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está querendo uma resposta simples, sim ou não, mas nem tudo é simples na vida. Se considerarmos a gramática como o conjunto de estruturas através das quais uma língua funciona, então a expressão "vou ir" é gramatical, é correta. Não há pleonasmo: o primeiro verbo (auxiliar) indica o tempo futuro, o segundo a ação. Mas a forma é condenada por alguns, pois há outras alternativas como "irei" ou simplesmente "vou" que evitam a repetição do mesmo verbo (em duas funções diferentes).

      Excluir
    2. Do ponto de vista gramatical, está correto. No entanto, não soa bem. Portanto, do ponto de vista estilístico, de estética, não devemos usá-lo.

      Excluir
    3. Concordo, Maisa.Não é eufônico e, gramático e/ou linguista que primam pela eufonia jamais aceitariam essa aberração. Acho que Vinícius extrapolou no uísque a declamar aquela bobabem.

      Excluir
    4. O que soa mal pra uns pode soar bem pra outros. O que é esteticamente belo pra uns pode ser de mau gosto pra outros. Portanto, este argumento acerca da estilística não é válido.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. Fernando Monteiro então considera o uso de "vou ir" uma aberração. Ok, mas e quanto a "vinha vindo", "tinha tido" e "há de haver"? Outra coisa: você corrigiu apenas o "bobabem" de seu texto, porém esqueceu-se de retirar a vírgula antes de "gramático" e, ainda, equivocou-se em "a declamar" (o correto seria "ao declamar"). Seja feliz na vida, mas mais respeito pelo grande Vinícius!

      Excluir
    7. "vou ir" é gramatical, é correta. Não há pleonasmo: o primeiro verbo (auxiliar) indica o tempo futuro, o segundo a ação."

      ...(sic)Indica "presente do indicativo"...

      Excluir
  3. /\ foi respondido, oras! O post INTEIRO tratou exatamente disso. "A partir das respostas dos acadêmicos, pode-se inferir que não há unanimidade quanto ao uso de 'vou ir'" significa que uns dizem que não está errado e outros sim. Há ainda quem não opine (meu caso), mas que prefere usar construções assim apenas em caso de extrema necessidade, ou pela arte, como Vinicius o fez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. Gramaticalmente está correto, mas devemos evitar usar pelo estranhamento que causa.

      Excluir
    2. Estranhamento? Em diversas partes do Rio Grande do Sul e de São Paulo não há nenhum estranhamento com tal uso. O estranhamento - ou o não estranhamento - são construções sociais.

      Excluir
  4. Adorei! Fui corrigida ao dizer. Que bom que em termos não é errado. A lingua portuguesa é linda, porém, é muito complicada..

    ResponderExcluir
  5. Ótimo post, estávamos a debater sobre outra expressão e o indivíduo falou: "... é como a expressão vou ir, está totalmente errada...", e graças a Deus eu defendi minha opinião e estava com a razão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neste caso nenhum tem razão, já que não existe uma unanimidade. Não foi decretado certo ou errado.

      Excluir
    2. Na verdade, não está errada mesmo, se considerarmos a gramática, ok?

      Excluir
  6. Vou ir = ir+ir
    Sei que não existe mas pode ser considerado/entendido como uma forma de pleonasmo verbal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é pleonasmo, já que o primeiro "ir" é um verbo auxiliar e não tem o mesmo papel e significado do segundo "ir".

      Excluir
  7. Nãoo entendi se é correto ou nãoo. Devo ser burra mas não entendo tanta enrolação,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há enrolação. É certo do ponto de vista gramatical, mas não devemos usar por uma questão de estética, pois soa muito mal.

      Excluir
  8. Acho o "vou ir" correto.

    ResponderExcluir
  9. Pode até ser certo, mas eu acho feio e não uso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. É certo do ponto de vista gramatical, mas é feio, ou seja, soa muito mal aos nossos ouvidos. Por isso, mesmo sendo certo, devemos evitar.

      Excluir
    2. É "feio" no contexto social ou na região de onde vc vem, mas em outros é tão normal quanto "vinha vindo" ou "tinha tido".

      Excluir
  10. Estava pesquisando no google e de tudo que li, essa foi a matéria mais completa e que chegou mais perto de uma questão que vim pesquisar.

    É muito comum ouvirmos, "Eu viajo amanhã", "No próximo mês eu compro isso" ou "Semana que vem ela come essa feijoada". (é até mais comum de ouvirmos em respostas...)

    Por ser uma ação no futuro, não deveríamos usar uma conjugação no futuro ao invés do presente do indicativo? Por exemplo, "Eu viajarei amanhã", "No próximo mês eu comprarei isso" e "Semana que vem ela comerá essa feijoada" ??

    Sendo a primeira forma também aceita, qual a explicação gramatical para isso?

    Obrigado!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso se chama aspecto verbal. Está correto.

      É o caso do: amanhã, eu vou ao cinema. O verbo está conjugado no presente com o sentido de futuro.
      Por isso, não vejo erro no caso de: amanhã eu vou ir ao cinema.

      Acho q é preciocismo nosso apenas, a autora citou o espanhol, no francês essa estrutura não tem polêmica, é certa.

      Excluir
  11. Vou ir, Não.
    Vou ir está errado.
    Gramaticalmente está errado.

    Existem licenças poéticas, mas está errado
    Pronto, acabou.

    ResponderExcluir
  12. A língua falada muda e afeta a língua escrita... As gramáticas demoram muito a mudar e aceitar as novas formas de uso da língua... Vou ir soltar a minha língua por aí... rs

    ResponderExcluir
  13. Bom dia. Na expressão "Em dois meses a aposentadoria é aprovada", indicando tempo futuro, está correta?

    ResponderExcluir
  14. Acho estranho vou ir..... "Eu vou" já esta indo... Pq eu vou ir...

    ResponderExcluir
  15. Maísa, ontem mesmo esta foi uma discussão que tive com meus colegas no almoço, e esta sua postagem foi o que de melhor achei na internet para mandar aos colegas hoje. Obrigado!

    ResponderExcluir
  16. Para mim não soa bem. Sempre corrijo meus filhos pequenos quando perguntam ''Pai, você vai ir?'' Eu respondo com um olhar que já sabem que é de correção: Querem saber se irei ou se vou? ;-)

    ResponderExcluir

Escreva aqui seu comentário, dúvida, crítica ou sugestão.